Medalhas Olímpicas: A maior parte vai para os jamaicanos

boltmedalla 11.51.29 PM

Superada apenas por Cuba (208 medalhas), o gigante Brasil (108) e Argentina (70), a atuação da Jamaica na história latino-americana e caribenha nos Jogos Olímpicos é sem dúvida lendária.

Com 67 premiações (17 de ouro, 30 de prata e 20 de bronze), conquistadas desde sua primeira participação em 1948, os atletas jamaicanos colocaram seu país em um sólido quarto lugar entre todas as nações da América Latina e Caribe. Em quinto lugar vem o México, que esteve no pódio um total de 62 vezes.

Se não fosse por Cuba, indiscutivelmente líder na America Latina, a Jamaica estaria a frente no pódio do Caribe, reinando sobre Trinidade e Tobago (18), Bahamas (11), Porto Rico (8), República Dominicana (6),  Haiti (2), Antilhas Holandesas (1), Granada (1), Barbados (1) e Ilhas Virgens (1).

E isso não é tudo, pois a Jamaica, uma ilha de apenas 10.991 quilômetros quadrados e menos de 3 milhões de habitantes, ocupa o 42º lugar dos 132 países que participaram das olimpíadas desde 1896, quando teve início os Jogos Olímpicos em Atenas, Grécia, estando acima de países muito maiores e mais populosos como México, Índia, Coréia do Norte, Egito, Tailândia, Portugal, Colômbia e Venezuela.

E ainda não acaba por aqui, pois se os governos os cinco países latino-americanos e do Caribe que encabeçam o ranking olímpico decidissem dividir e compartilhar pedaços destas medalhas entre o número total de habitantes de seus países, os 2. 889.187 milhões de jamaicanos levariam para casa uma fatia maior deste prêmio, pois cada parte seria dividida entre 43.122 pessoas.

As medalhas cubanas (11.239.915 milhões de habitantes) seriam divididas em  54.034 pedaços, as argentinas ( 43.131.966) em 615.959 partes, as brasileiras ((204.450.649) em  1.893.062 de fragmentos e as mexicanas (119.530.753) em 1.927.916 de partículas microscópicas.

Agregar Comentário